Como os condomínios fechados de alto padrão ampliaram na pandemia

Como os condomínios fechados de alto padrão ampliaram na pandemia

O Brasil está enfrentando uma das piores crises mundiais. O número de mortos por covid-19 aumenta a cada dia. A economia não vai muito bem, todas as esperanças parecem se esgotarem, alimentando um cenário de dor, agonia e desespero. Contudo, existem formas de não facilitar para o vírus: o distanciamento social.

Essa é uma medida prática, porém difícil de ser atendida, quando não temos espaço suficiente para manter a distância adequada. Com isso, brasileiros investiram muito mais em casas maiores, ficando protegido do vírus e em segurança. Essas casas são em sua grande maioria imóveis em condomínios fechados, é disso que falaremos nas próximas linhas, nos acompanhe!

O surgimento de condomínios fechados

Historicamente, os condomínios surgiram em torno de 1820, em Londres, ao redor de praças. A primeira praça tinha o nome de Covent Garden. Viver em torno delas demonstrava prestígio. Até então eram locais abertos ao público geral, que se caracterizava como local de encontro.

Entretanto, tornou-se vulnerável ao uso inconveniente populacional. Por conta disso, os proprietários das terras se sentiram amedrontados e solicitaram uma autorização jurídica para privar esses espaços. Começaram a usar grades de metal para privar seu espaço.

Nesse período os condomínios fechados alto padrão foram nomeados como Gated Communities (GCs). A partir disso os condomínios fechados de alto padrão foram ganhando popularidade e se expandiram para os demais países. Claro, com os modelos referentes à sua época.

No Brasil os indícios de condomínios fechados apareceram em 1970 na cidade de São Paulo. Em 1975 a prioridade era voltada para as indústrias não-poluentes em Barueri e Santana. Logo, se transformou em imóveis para moradia dos executivos daquelas empresas, criando assim, o Alphaville residencial, com alguns atributos como: equipamentos privativos, controle de acesso, inacessibilidade do perímetro e propriedade privada.

Sendo assim, os condomínios fechados no Brasil, passaram a ser uma segunda residência de veraneio, entre outros. Com a responsabilidade financeira de manter duas casas foi ficando insustentável e foram erradicados, porém, essas pessoas não queriam deixar de ter duas casas, por conta de manter boas impressões à sociedade, então foram criados oficialmente os condomínios mais acessíveis, que existem na atualidade.

Condomínios fechados alto padrão na atualidade

Como vimos, a busca por segurança e isolamento, ainda que por motivos distintos, sempre foram almejados pela sociedade. Hoje, com toda a necessidade de isolamento, os condomínios fechados alto padrão são indispensáveis.

Nas regiões metropolitanas como: São Paulo, Rio de Janeiro e Goiânia, as vendas durante a pandemia aumentaram de uma forma nunca vista antes, por conta do isolamento social. Entrando em detalhes, veremos a mudança na porcentagem de transações imobiliárias, ainda que com a economia sofrendo crises, a queda da taxa Selic facilitou as negociações entre os investidores.

São Paulo

É o Estado com mais prioridade no assunto, pois está em primeiríssimo lugar como região em que os investidores buscam condomínios fechados. Imobiliárias especializadas nesse segmento viu a demanda por casas no campo e no litoral de São Paulo aumentarem em 600% e o preço desses lugares valorizarem entre 20% e 40% desde o início da quarentena.

O movimento, que no início era principalmente de busca por imóveis para alugar, se transformou e abriu espaço para transações mais duradouras”, afirma José Roberto Graiche, presidente da Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios de São Paulo (AABIC).

Rio de Janeiro

A procura por imóveis maiores com área de lazer próprias cresceu, pois, a desvalorização do real contribuiu para transações a cerca de 5 milhões no Rio. O mercado de alto padrão, por ter um público seletivo sempre obteve condições maiores, sendo considerado promitente e menos afetado em tempos de crise.

O ano de 2019 foi bom, mas 2020 foi muito bom, um divisor de águas. Os clientes querem mais espaço por conta do home office e desejam um jardim, piscina e churrasqueira, até porque durante a pandemia não puderam utilizar as áreas de lazer dos condomínios”, diz Roberta Costa, diretora de uma imobiliária de condomínios fechados de alto padrão.

Goiânia

Goiânia é famosa pelo destaque de capital mais verde do Brasil. Você deve estar se perguntando: qual a relevância disso para a pandemia? Toda! Por conta disso, a capital ranqueia entre as cidades brasileiras do bem-estar humano, tudo que os brasileiros necessitam em meio a uma crise de saúde nacional. Com essas características o setor imobiliário de condomínios fechados de alto padrão em Goiânia dispara como um dos mais aquecidos do país.

Durante a pandemia e crise da economia, essa é uma grande vitória para o setor imobiliário, com o recorde de 72 milhões em vendas de imóveis, realizando um crescimento de forma extraordinária. 

Gostou desse artigo? No fique ligado no nosso site para mais atualizações e novidades!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s