Quero financiar um apartamento, o que preciso fazer?

Ao decidir adquirir um imóvel junto à imobiliária, muitas dúvidas podem surgir. Afinal, além de ser um grande investimento, também é uma decisão que irá impactar significativamente sua qualidade de vida. Hoje em dia, o tipo de imóvel mais procurado é o apartamento, oferecendo para as pessoas mais segurança que uma casa comum e, em alguns casos, serviços extras, como academia, piscina, churrasqueira, entre outros.

No entanto, sabemos que não são todas as pessoas que têm o valor integral disponível para realizar o pagamento à vista e o financiamento se tornou uma das opções mais utilizada nos dias atuais. Então, se você decidiu adquirir seu apartamento, não deixe de acompanhar o post de hoje até o fim e saiba o que você precisa para financiá-lo.

O que é preciso para financiar apartamento?

Confira abaixo o passo a passo para que você consiga financiar o apartamento:

Simulação de contrato

O primeiro passo é a simulação para que os bancos enviem propostas de acordo com sua renda e capacidade de pagamento. A grande maioria das instituições financeiras disponibiliza um simulador on-line, promovendo maior facilidade e agilidade.

Escolha do banco e entrega dos documentos

Depois de simular o contrato, você deve avaliar a proposta que mais se adequa ao seu perfil e em seguida enaminhar os documentos necessários para dar início ao financiamento. Cada instituição tem uma lista de documentos, mas os mais comuns são os documentos de identidade, certidão de casamento e comprovantes de renda. Os profissionais autônomos podem entregar extratos bancários e contratos de prestação de serviços.

Análise de crédito

Nessa etapa, a instituição irá checar as informações recebidas realizando a análise de crédito. Ou seja, ela verifica a possibilidade de você pagar o empréstimo, além da sua situação atual nos órgãos de proteção ao crédito. Justamente por isso, é importante estar com o nome limpo e um bom score no Serasa.

Elaboração e assinatura do contrato

Depois da aprovação, a instituição financeira elabora o Contrato de Financiamento que deve ser assinado tanto pelo comprador quanto pelo vendedor.

Registro do contrato em cartório

Em seguida, você deverá levar o contrato para ser registrado em cartório. Vale lembrar que aqui terão custos adicionais, como o pagamento do registro e do ITBI (Imposto de Transmissão de Bens e Imóveis).

Liberação do crédito

Ao receber sua via do contrato registrado em cartório, o banco tem um prazo para liberar o crédito, que varia entre 5 a 10 dias úteis.

Pagamento das parcelas

Por fim, depois de tudo feito, agora é a hora de pagar as parcelas estabelecidas no contrato para o banco. Caso não haja o pagamento, o comprador pode perder o imóvel. E, ao final dos pagamentos, o banco emite então o Termo de Quitação de Imóvel.

Principais maneiras de financiar um apartamento

Para adquirir um imóvel residencial existem duas formas mais comuns de obter o crédito imobiliário: o SFH (Sistema Financeiro de Habitação) e o SFI (Sistema Financeiro Imobiliário). Ambas utilizam os recursos do SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo), que vêm dos depósitos de caderneta de poupança e FGTS. Confira abaixo as diferenças:

Sistema Financeiro de Habitação:

Essa modalidade contempla principalmente as classes de baixa renda, com os recursos voltados para a compra ou reforma da casa própria. Inclusive, o programa Minha Casa Minha Vida é um financiamento que se enquadra no SFH. As principais características são:

  • O imóvel financiado deve ser avaliado em no máximo R$ 1,5 milhão;
  • Permitido apenas para pessoas físicas e que podem comprometer no máximo 30% da renda mensal;
  • A taxa de juros é de até 12% ao ano;
  • O financiamento só é aprovado se o objetivo é moradia, além de o imóvel precisar estar localizado onde o comprador já reside ou estuda;
  • Aqui, os recursos do FGTS podem ser usados para abater o saldo devedor.

Sistema Financeiro Imobiliário

Já essa segunda alternativa engloba todos os casos de financiamento que não se encaixem na modalidade anterior. Suas principais características são:

  • Pode ser usado para imóveis residenciais ou empresariais, pessoas físicas ou jurídicas;
  • As taxas de juros variam entre 12% a 16% ao ano;
  • Não existe teto máximo para o valor do imóvel;
  • Não há limite de comprometimento da renda do comprador.

Sendo assim, a principal diferença entre ambos é a possibilidade de usar o FGTS para o financiamento, sendo que isso só é permitido no SFH caso atenda as seguintes exigências:

  • Ter contribuído por pelo menos 3 anos de trabalho;
  • Não ter outro financiamento pelo SFH;
  • Não ter outro imóvel residencial urbano onde que trabalha ou reside.

Então, agora que você sabe o que é preciso para financiar seu apartamento é hora de reunir os documentos e começar a pesquisar o imóvel desejado. O planejamento financeiro é fundamental para que você consiga adquirir o apartamento dos sonhos. Por isso, busque reduzir despesas superficiais, faça um investimento específico e não se esqueça de ter ao seu lado bons profissionais.

Imobiliária em ItapemaMercatto Imóveis.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s